GT DE TURISMO

No G20, Brasil reforça debate global sobre sustentabilidade e financiamento para o turismo

Segundo o Painel do G20 de Turismo e os ODS, os países do G20 representaram 74% das chegadas internacionais e 73% das exportações relacionadas ao turismo em 2022. Para além dos países-membros e convidados, participaram dos dois dias de reunião membros da ONU Turismo, do WTTC (Conselho Mundial de Viagens e Turismo) e da CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina).

29/02/2024 17:13 - Modificado há 2 meses
A reunião técnica ocorreu nos dias 28 e 29 de fevereiro, por videoconferência no SERPRO. Foto: Audiovisual/G20
A reunião técnica ocorreu nos dias 28 e 29 de fevereiro, por videoconferência no SERPRO. Foto: Audiovisual/G20

Qualificação e formação de profissionais, financiamento internacional de projetos e sustentabilidade no setor: esses foram os temas que guiaram a primeira reunião técnica do Grupo de Trabalho (GT) de Turismo, coordenado pelo Ministério do Turismo (MTur) do Brasil. A reunião ocorreu entre os dias 28 e 29 de fevereiro, por videoconferência na sede do G20 Brasil, o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), em Brasília. 

Celso Sabino, ministro do Turismo, enviou um vídeo para a abertura da reunião em que frisa a importância do diálogo entre as prioridades da presidencia brasileira e os temas em debate no GT. “Ao assumir a liderança do G20, o Brasil reconhece a necessidade de enfrentar os desafios globais, centrados em três pilares: o combate à fome, à pobreza e à desigualdade; o desenvolvimento sustentável em suas dimensões econômica, social e ambiental; e a reforma da governança global. Nosso objetivo é promover uma cooperação mais eficaz entre os países-membros do G20, com soluções inovadoras e sustentáveis”, apontou o ministro. 

Marco internacional sobre turismo sustentável

O grupo discutiu o apoio ao Marco Estatístico para Mensuração da Sustentabilidade do Turismo, ferramenta criada pela ONU Turismo, que reúne dados sobre o segmento para subsidiar a formulação e a implementação de políticas públicas. Outra pauta do encontro foi a continuidade do levantamento de boas práticas e a disponibilização na plataforma virtual sobre o progresso dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O chefe da Assessoria de Relações Internacionais do MTur, Heitor Kacri, indicou que o GT busca apresentar, além da nota conceitual, produtos objetivos, sendo, um deles, uma carta de endosso ao Marco. “O Brasil está defendendo essa nova metodologia e a gente acredita que é muito importante para poder trabalhar sustentabilidade no turismo, em indicadores concretos, baseados em números e em estudos, para poder avançar nessa temática”, colocou.

“Nós também, ainda na parte de sustentabilidade, estamos propondo que seja feita uma retrospectiva de todas as declarações e recomendações do G20 na matéria. A gente quer ver tudo aquilo que foi acordado e prometido pelos países nos eventos anteriores, não só no grupo de trabalho, mas também das reuniões de ministros, e fazer um balanço daquilo que foi efetivamente atingido e conseguido pelos países”, Heitor complementou.

O Ministério do Turismo já realiza ações em prol de um turismo mais sustentável, inclusivo e seguro. Um exemplo é o Mapa Brasileiro do Turismo Sustentável, uma ferramenta online e interativa que compila dados das principais iniciativas de boas práticas de sustentabilidade, turismo de base comunitária e de segurança turística no território nacional, permitindo a geração de gráficos, tabelas e planilhas com informações detalhadas de cada iniciativa.

Financiamento ao turismo sustentável

No que tange ao debate de qualificação de profissionais do setor, discutiu-se os gargalos na formação de profissionais da área e as diferentes realidades entre os países. Enquanto alguns investem em maior proporção em formação, com poucas oportunidades no mercado, outros, com maior demanda turística, carecem de profissionais especializados. 

Já no tema de financiamento internacional para projetos turísticos, o Brasil apresentou aos demais países um levantamento sobre o financiamento de projetos nacionais por organismos e/ou bancos multilaterais para aumentar esses aportes, ainda insuficientes, de acordo com o coordenador do GT.  

“A gente acredita que aumentar o financiamento, a linha de crédito, do setor turístico, é essencial. Com esse aumento a gente vai conseguir desenvolver o setor, o que terá impactos concretos e positivos não só para o turismo, mas para todas as demais áreas, em especial a economia e também um impacto social profundo, que é uma das prioridades e pilares dessa presidência do Brasil”, concluiu Kacri.

Segundo o Painel do G20 de Turismo e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), os países do G20 representaram 74% das chegadas internacionais e 73% das exportações relacionadas ao turismo em 2022. Para além dos países-membros e convidados, participaram dos dois dias de reunião membros da ONU Turismo, do WTTC (Conselho Mundial de Viagens e Turismo) e da CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina).

Veja também

Primeira reunião do Grupo de Trabalho de Turismo - Briefing à imprensa

1 de março de 2024
Leia maissobrePrimeira reunião do Grupo de Trabalho de Turismo - Briefing à imprensa