TRILHA DE FINANÇAS

Haddad: “Super-ricos do mundo precisam contribuir de forma mais justa e proporcional”

Ministro da Fazenda, liderou o apelo por uma tributação mais equitativa dos super-ricos globalmente durante o segundo dia de encontros do G20. Haddad destacou a necessidade de ação conjunta para corrigir disparidades fiscais, convocando países-membros e organizações internacionais a unirem esforços para um sistema tributário mais justo e sustentável.

29/02/2024 11:43 - Modificado há 2 meses
Em fala na abertura do segundo dia de encontro dos ministros da Finanças do G20, ministro da Fazenda do Brasil defende que super-ricos paguem tributos proporcionais às suas riquezas Crédito Diogo Zacarias/MF
Em fala na abertura do segundo dia de encontro dos ministros da Finanças do G20, ministro da Fazenda do Brasil defende que super-ricos paguem tributos proporcionais às suas riquezas Crédito Diogo Zacarias/MF

Fernando Haddad, ministro da Fazenda do Brasil, defendeu que os super-ricos do mundo passem a contribuir de forma mais justa e proporcional a suas riquezas e a cooperação internacional para uma tributação internacional progressiva, na abertura do segundo dia de reuniões de ministros de Finanças e presidentes dos Bancos Centrais do G20, nesta quinta-feira, 29/2, em São Paulo. 

Haddad apresentou dados do EU Tax Observatory, que revelam que os bilionários do mundo pagam uma alíquota efetiva de impostos equivalente a entre 0 e 0.5% de suas riquezas. O ministro disse compreender as diferentes perspectivas sobre o tema entre os países-membros do fórum, mas que espera ação do grupo para solucionar a questão. 

Boletim G20 Ed. 58
Reunião ministerial foi centrada no tema "Tributação internacional para o século 21". Crédito: Diogo Zacarias/MF
Reunião ministerial foi centrada no tema "Tributação internacional para o século 21". Crédito: Diogo Zacarias/MF

“Me pergunto como nós, ministros da Fazenda, permitimos que uma situação como essa continue. Se agirmos juntos, nós temos a capacidade de fazer com que esses poucos indivíduos deem sua contribuição para nossas sociedades e para o desenvolvimento sustentável do planeta. Não vejo contradição entre as diferentes agendas de tributação internacional que estamos trazendo à mesa”, enfatizou.

O ministro citou a experiência do Brasil em relação ao tema, pontuando que a reforma tributária realizada no País foi bem-sucedida e que cada nação pode fazer muito por si mesma no âmbito interno. “No entanto, soluções efetivas para que os super-ricos paguem sua justa contribuição em impostos dependem de cooperação internacional”, pontuou.

No discurso, Haddad convocou as Nações Unidas e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) para unirem legitimidade, capacidade técnica e força política para “continuar avançando em nossa cooperação tributária internacional e diminuindo as oportunidades para que um pequeno número de bilionários continue tirando proveito de buracos em nosso sistema para não pagar sua justa contribuição”. 

O tema é discutido pelo G20, no âmbito do Grupo de Trabalho Tributação Internacional, cujo foco é aumentar a eficiência dos sistemas tributários para a redução das desigualdades. Formalmente, a Agenda de Tributação Internacional não se constitui como um grupo de trabalho. Os subsídios e formulações construídos entre os países-membros são debatidos e decididos diretamente pelos representantes dos governos em debates de alto nível, como o que ocorre durante a reunião ministerial de Finanças do G20. 

Veja também

“Não há ganhadores na atual crise da globalização”, diz Haddad

28 de fevereiro de 2024
Leia maissobre“Não há ganhadores na atual crise da globalização”, diz Haddad

Discurso do ministro da Fazenda Fernando Haddad na 1a reunião Ministerial de Finanças do G20

29 de fevereiro de 2024
Leia maissobreDiscurso do ministro da Fazenda Fernando Haddad na 1a reunião Ministerial de Finanças do G20

Íntegra do discurso do ministro Fernando Haddad - Reunião Ministerial do G20 – São Paulo, 29 de fevereiro de 2024

29 de fevereiro de 2024
Leia maissobreÍntegra do discurso do ministro Fernando Haddad - Reunião Ministerial do G20 – São Paulo, 29 de fevereiro de 2024