DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Cooperação internacional reforça medidas para a transição energética

Parcerias com o Banco Mundial e o Reino Unido buscam acelerar medidas para a transição energética, por meio da criação de linha crédito de até R$1 bilhão para projetos de hidrogênio verde e de um centro para articular ações pela descarbonização do setor industrial no Brasil. Acordos foram assinados durante a COP 28, em Dubai, e temas compõem a pauta de discussões de grupos de trabalho da Trilha de Sherpas do G20

04/12/2023 18:51 - Modificado há 7 meses
Amostra do combustível sustentável de aviação (SAF) em desenvolvimento no Instituto SENAI de Inovação em Energias Renováveis (ISIER) | Foto: Renata Moura

O Brasil está empenhado em buscar possibilidades para acelerar a transição energética e celebrou, durante a Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas, a COP 28, memorandos de cooperação com o Banco Mundial, para criação de um fundo com potencial de investimento de até R$1 bilhão para projetos de hidrogênio verde, e com o Reino Unido, para a criação do Hub de Descarbonização Industrial no Brasil (HDIB).

Acelerar as medidas para transição energética está entre os temas prioritários das discussões de grupos de trabalho que integram a Trilha de Sherpas do G20. A ideia é promover um diálogo mais amplo no país e no mundo sobre esses temas, que fazem parte tanto do Grupo de Trabalho de Transições Energéticas quanto da Força-Tarefa Mobilização Global contra a Mudança do Clima. 

O memorando para a criação de uma linha de crédito para projetos de hidrogênio de baixa emissão de carbono é uma parceria entre o Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Banco Mundial. O acordo prevê também o compartilhamento de conhecimentos para impulsionar o diálogo sobre o tema e valida a possibilidade de co-financiamento, garantias e financiamento de assistência técnica. A medida está sob responsabilidade do Ministério de Minas e Energia (MME). 

O ministro Alexandre Silveira avaliou que a cooperação representa "passos consistentes", "que trazem dinamismo e reduzem o custo de projetos de larga escala para acelerar a transição energética de uma maneira justa e inclusiva”.

Acordo com o Reino Unido

Já o Hub de Descarbonização Industrial no Brasil, é fruto do memorando assinado com o Reino Unido para aumentar a capacidade do país de identificar, alinhar e combinar fontes de assistência internacional com projetos para apoiar a descarbonização das atividades industriais brasileiras. A criação do centro está sob o escopo das ações do Ministério de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC). 

O documento também prevê a articulação de parcerias internacionais para o HDIB; incentivo a doadores internacionais de financiamento climático; promoção de atividades em eventos internacionais sobre clima e energia limpa, identificação de oportunidades de engajamento público; e a realização de assistência técnica e financeira para projetos de descarbonização industrial no Brasil pelo governo britânico no âmbito do programa de política de Financiamento Climático Internacional.

“O Brasil está bem posicionado para liderar a descarbonização global, dada sua matriz energética limpa e seu potencial para inovação em energias renováveis. Nosso objetivo, entretanto, não é apenas atender às metas climáticas, mas também impulsionar a economia, gerar empregos e promover a sustentabilidade em todas as frentes”, afirmou o secretário de Economia Verde, Descarbonização e Bioindústria, Rodrigo Rollemberg.

Outras notícias

TRILHA DE SHERPAS

Transições Energéticas

30 de novembro de 2023
O Grupo de Trabalho tem como prioridade debater o cenário de transição global para utilização de fontes de energia limpas e sustentáveis e os caminhos para um transição energética justa, acessível e inclusiva.
Leia maissobreTransições Energéticas