TRILHA DE SHERPAS

Transições Energéticas

Transições Energéticas

O Grupo de Trabalho de Transições Energéticas tem como prioridade debater o cenário de transição global para utilização de fontes de energia limpas e sustentáveis e os caminhos para um transição energética justa, acessível e inclusiva.

Sobre o GT

Os temas tratados como prioritários durante a presidência da Índia, em 2023, foram: combustíveis para o futuro, financiamento de baixo custo para transição energética e a transição energética por meio da abordagem de lacunas de energia. 

Também tiveram destaque o acesso universal à energia limpa, os caminhos para transição energética justa, acessível e inclusiva, a segurança energética e a diversificação de cadeias de suprimento/fornecimento, eficiência energética e transições industriais de baixo carbono e o consumo responsável. 

Para 2024 os principais temas serão: a transição energética justa e inclusiva, como acelerar o financiamento das transições energéticas, a dimensão social da transição energética e as perspectivas de inovação de combustível sustentável.

Histórico do GT

A 2ª reunião do grupo de trrabalho, ocorreu nos dias 2 e 3 de abril de 2023. O grupo se reuniu na cidade indiana de Gandhinagar e debateu o desenvolvimento de políticas e estratégias para apoiar a transição global para fontes de energia limpas e sustentáveis. Em setembro de 2023, o Brasil assumiu a co-presidência do Comitê Gestor da Clean Energy Ministerial (Ministerial de Energia Limpa, em tradução livre), um dos principais fóruns internacionais de colaboração para a promoção de energias limpas do mundo. 

Também em setembro foi lançada a Aliança Global para Biocombustíveis, que contou com a participação do presidente Lula, em cerimônia ocorrida paralelamente à Cúpula do G20. A iniciativa, que conta com a participação dos três principais produtores de biocombustíveis do mundo - Brasil, Estados Unidos e Índia -, reúne 19 países e 12 organizações internacionais com o objetivo de ampliar a cooperação técnica e tecnológica visando à expansão de biocombustíveis, a descarbonização do setor de transportes e a transição energética.

O Ministério de Minas e Energia é o coordenador do grupo.