G20

Brasil propõe debate sobre Inteligência Artificial na ONU e no G20

Encontro do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia reuniu especialistas para debater eixos temáticos vinculados à IA que contemplem a agenda do Sul Global.

07/03/2024 19:42 - Modificado há um mês
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva na 1ª Reunião do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia, no Palácio do Planalto. Crédito: Divulgação G20
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva na 1ª Reunião do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia, no Palácio do Planalto. Crédito: Divulgação G20

Nesta quinta-feira (07), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva coordenou a 1ª Reunião do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CNCT), centrada nos progressos e desafios da Inteligência Artificial (IA) no Brasil. O Presidente pediu ao grupo de especialistas uma proposta para o Brasil apresentar na Conferência das Nações Unidas em setembro. Lula defendeu a posição estratégica brasileira, como presidente do G20 e do Brics no ano que vem, e a  importância de pautar nesses fóruns a agenda do Sul Global,  com as iniciativas de inovação, para ele “não podemos seguir de reboque nesta área”.  Para ele, “muitas vezes a gente deixa de fazer as coisas porque pensamos demais, teorizamos demais. Precisamos pensar e agir. Precisamos de uma política concreta em inteligência artificial”.

O CNCT, órgão consultivo de assessoramento superior da Presidência da República, tem como objetivo principal promover a ciência, tecnologia e inovação como pilares essenciais para o desenvolvimento nacional. Na reunião, estava presente o vice-presidente, Geraldo Alckmin, e a ministra da Ciência e Tecnologia Luciana Santos, além de ministros, autoridades e especialistas que se reuniram para discutir o papel da Inteligência Artificial no avanço científico e tecnológico do Brasil, explorando os caminhos para impulsionar a inovação e o desenvolvimento. Na pauta estão os desafios da integridade da informação, necessidade de regulação internacional e transição para uma economia verde e sustentável.

Sob a liderança de Lula, a reunião abordou as principais questões relacionadas à IA, incluindo desafios digitais, aplicações e riscos, impacto no mercado de trabalho e integridade da informação.

A ministra Luciana Santos, destacou a importância dos avanços da IA no país. “Precisamos adaptar a nossa indústria para o avanço tecnológico. A IA já é aplicada em diversos campos, como a saúde e a educação”. Para o Brasil ser autônomo nesta área, é necessário “ter produção de IA e não só utilizarmos esta tecnologia, para evitar o abismo entre os países”, defendeu a ministra. 

Roseli Figaro, coordenadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho, acredita que, “a IA é a fronteira internacional atualmente em disputa e precisa urgentemente de regulação. O Sul Global tem sido o espaço para a exploração dos recursos (minerais e ambientais) para a construção da infraestrutura necessária (para a implantação da rede de comunicação necessária) e extração de dados com remuneração barata”. Virgilio Augusto Fernandes Almeida, da Universidade Federal de Minas Gerais, defendeu que, “devemos procurar uma inteligência artificial para o Humano, que combina a capacidade humana com a inovação e não ser substituída por ela.” Laura Schertel, pesquisadora da Universidade Federal do Paraná, analisou os impactos da IA e os riscos que ela pode apresentar para os direitos humanos e o papel das instituições. 

Durante a reunião foram estabelecidas as comissões temáticas do Conselho, responsáveis por elaborar a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (Encti) até 2030. O CNCT, reformulado pelo presidente Lula em 2023, busca fortalecer o papel do Brasil como líder em inovação e desenvolvimento científico.

Veja também

GT de Economia Digital apresenta prioridades para sociedade civil

31 de janeiro de 2024
Leia maissobreGT de Economia Digital apresenta prioridades para sociedade civil

Integridade de Informação: combate a conteúdos falsos em debate no G20

6 de dezembro de 2023
Leia maissobreIntegridade de Informação: combate a conteúdos falsos em debate no G20