GRUPO DE ENGAJAMENTO

T20: Transformação digital e financiamento para o desenvolvimento sustentável

Primeira conferência do grupo de engajamento do T20 (Think Tanks) durante a presidência brasileira do G20 discutiu, em Brasília, justiça social e liderança digital. Melhora no acesso a serviços, criação de oportunidades de emprego e aprimoramento da governança pública são esperadas por meio de inovações nas finanças e nas tecnologias

18/12/2023 19:32 - Modificado há 4 meses
Conferência de Brasília Sobre Justiça Social: Preparando o Cenário para a Presidência Brasileira do G20 Brasília | Foto: Helio Montferre/Ipea
Conferência de Brasília Sobre Justiça Social: Preparando o Cenário para a Presidência Brasileira do G20 Brasília | Foto: Helio Montferre/Ipea

Promovido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e pela Observer Research Foundation (ORF America), aconteceu nos dias 14 e 15 de dezembro, a "Conferência de Brasília sobre Justiça Social: Preparando o Cenário para a presidência brasileira do G20". 

O evento, que contou com a colaboração de Think Tanks da Índia e da África do Sul (países que formam a chamada troika - com o atual país anfitrião, o país anfitrião anterior e o próximo anfitrião), é o primeiro do Grupo de Engajamento T20, formado por especialistas e Think Tanks, durante a gestão do Brasil no G20. Think Tanks são fábricas ou laboratório de ideias. São lugares para a disseminação de conhecimento e criação de políticas públicas.

O T20 Brasil, parte do G20 Social, vai propor políticas públicas para discussão durante o G20 no Brasil a partir de temas  importantes para o desenvolvimento global. O comitê organizador é composto pelo Ipea, Fundação Alexandre de Gusmão (Funag) e Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri). 

O destaque foi o debate dado à transformação digital e ao financiamento como impulsionadores do desenvolvimento sustentável. A mesa de abertura contou com a presença da presidenta do Ipea, Luciana Mendes Santos Servo e do diretor executivo da ORF America, Dhruva Jaishankar, que ressaltaram a importância de direcionar a presidência brasileira do G20 para a busca da justiça social. Para Luciana, é necessário repensar o conceito de desenvolvimento para enfrentar os desafios atuais.

O evento reforçou ainda a importância da justiça social e climática na agenda global. A ideia é remodelar o discurso sobre o desenvolvimento, colocando esses temas no centro das discussões. Através de inovações nas finanças e tecnologias, é esperada a melhoria no acesso a serviços, a criação de oportunidades de emprego e aprimoramento da governança pública.

Conferência de Brasília Sobre Justiça Social: Preparando o Cenário para a Presidência Brasileira do G20 foi realizada em dezembro em Brasília. Crédito: Helio Montferre/Ipea

Experiências do Brasil e da Índia

O seminário apresentou ainda as experiências do Brasil e da Índia como guias para uma digitalização inclusiva nos países do Sul Global. Ambos os países têm avançado no campo da tecnologia, desenvolvendo soluções como identificação e pagamentos digitais e plataformas de serviços públicos. A liderança desses países, tanto no G20 quanto globalmente, pode impulsionar o progresso em direção aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) propostos pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Com a transição da presidência do G20 da Índia para o Brasil, a conferência serviu de base para continuar abordando a transformação digital, a proteção social e a ação climática. O objetivo é criar uma comunidade de políticas e práticas diversificada, fornecendo insumos e orientações para o processo de discussões do G20. 

Ao abordar questões de desigualdade, mudanças climáticas e instituições multilaterais desatualizadas, o Brasil e a África do Sul, futura anfitriã do G20, têm a oportunidade de moldar a agenda global de finanças para o desenvolvimento, promovendo maior equidade climática e social.

Outras notícias

Participação Social

Think Tanks

29 de novembro de 2023
Leia maissobreThink Tanks