G20 BRASIL

Produtos de economia solidária são distribuídos no G20

Participantes das delegações receberam itens brasileiros frutos de projetos sociais que valorizam a inclusão produtiva.

03/04/2024 14:38
Foto: Matheus Damascena - ASCOM/MTE
Foto: Matheus Damascena - ASCOM/MTE

Produtos de empreendimentos de economia popular solidária ganharam o mundo a partir da 2ª Reunião Técnica do GT sobre Emprego, do G20 Brasil, realizada em Brasília (DF), entre os dias 27 e 28 de março. Cada um dos 200 participantes das 50 delegações, dos cinco continentes, levou para casa uma ecobag com mel, castanhas variadas e outros itens brasileiros frutos de projetos sociais que valorizam a inclusão produtiva.

O vice-ministro do Trabalho da Arabia Saudita, Mohannad Ahmad Aleisa, ficou surpreso ao explorar a ecobag e encontrar também alimentos. “Fico feliz em receber produtos locais. Já estou com vontade de experimentar o mel e as castanhas”, declarou Aleisa.

A representante do governo francês junto à Organização Internacional do Trabalho (OIT), Anousheh Karvar, gostou da lembrança que recebeu dos brasileiros. Disse que guardaria com cuidado, na volta para casa, para dividir os alimentos com a família.

Origem dos produtos

As ecobags foram confeccionadas pela Rede do Algodão Agroecológico Solidário, do qual fazem parte 700 cooperados e cooperadas, que são agricultores familiares, tecelões, artesãos e costureiras de cinco estados do país.  

O mel é um dos alimentos produzidos pela Cooperativa de Agricultura Familiar Sustentável com Base na Economia Solidária (COPABASE), que tem na sua estrutura diversas cadeias produtivas agroextrativistas e envolve trabalhadores de cinco cidades mineiras.

Os diversos tipos de castanhas são da Central do Cerrado, que reúne 17 empreendimentos cooperados e mais sete parceiros de comunidades quilombolas, indígenas, extrativistas e de agricultores familiares.

O que é um empreendimento solidário?

Um empreendimento de economia solidária produz dentro dos princípios da cooperação, autogestão, da solidariedade, de forma sustentável e com preços justos.  Conforme os dados do Cadastro Nacional de Economia Solidária (CADSOL), o Brasil tem registrado 20.670 empreendimentos que atuam nesse formato, do qual participam 1.425.158 trabalhadores e trabalhadoras.

Veja também

Carregando