G20 SOCIAL

Diversidade e futuro do trabalho pautam atividades da juventude no G20

Evento de lançamento das atividades da presidência brasileira do Youth 20 marca liderança do País de um dos grupos de engajamento mais tradicionais do G20. Propostas vão incluir o panorama da tecnologia e os impactos do desenvolvimento no meio ambiente e para futuras gerações.

21/03/2024 17:00 - Modificado há um mês
Roda de Capoeira durante o lançamento do Youth 20/ Crédito: Audiovisual G20 Brasil
Roda de Capoeira durante o lançamento do Youth 20/ Crédito: Audiovisual G20 Brasil

O Youth 20 (Y20) começou as atividades, sob a presidência brasileira do G20, em uma cerimônia concorrida no Instituto Rio Branco, em Brasília, nesta quarta (20). O Grupo de Engajamento, que faz parte  do G20 Social, reforçou a necessidade das maiores economias do mundo levarem em consideração as propostas da juventude. 

Durante a liderança brasileira, o foco são cinco temas prioritários: 

Combate à fome, à pobreza e à desigualdade
Mudanças climáticas e desenvolvimento sustentável
Reforma do sistema de governança global
Inclusão e diversidade
 Inovação no mundo do trabalho

Estes temas, essenciais para o futuro da sociedade global, serão debatidos e trabalhados pelo Y20 ao longo do ano, preparando propostas do grupo  para a Cúpula Social e de Líderes do G20.

A mesa de abertura contou com a presença do ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Márcio Macêdo, do sherpa brasileiro no G20, embaixador Mauricio Lyrio e da ministra de Direitos Humanos do Ministério das Relações Exteriores, Claudia Barbosa. 

Márcio Macêdo explicou que o Y20 é o principal canal de participação da juventude no G20 e pediu o maior número possível de participantes para que as propostas tenham representatividade. O ministro cobrou empenho dos demais países no sentido de ampliar o debate com a juventude e levar propostas para os líderes. O embaixador Mauricio Lyrio explicou que o evento no Brasil inova ao se propor a incorporar as recomendações da sociedade civil no relatório temático e a realizar a Cúpula do  G20 Social às vésperas da reunião de Líderes, em novembro. 

Variedade de vozes e perspectivas

Participaram ainda da mesa o secretário Nacional de Juventude da Secretaria Geral da Presidência da República, Ronald Santos, o chair do Y20 e presidente do Conselho Nacional da Juventude, Marcos Barão, a vice-presidente da Frente Parlamentar da Juventude do Congresso Nacional, a deputada federal do Brasil Camila Jara, e a presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Manuella Mirella.

O secretário Nacional da Juventude reforçou a importância do Y20 como fonte para influenciar os líderes globais em propostas e ações sobre o tema. “Queremos dar um papel fundamental para a juventude na construção do Y20. Normalmente os documentos não refletem os desejos dos jovens”, salientou Ronald. Marcus Barão lembrou que o Y20 é um dos grupos mais antigos do G20, com atividades iniciadas em 2010: “temos a responsabilidade de manter um grupo que começou em outras presidências e deixar um legado para as próximas”. Barão acredita que é importante envolver mais a população brasileira no G20, não só os jovens, que são o alvo das propostas do Grupo.

O ministro Márcio Macêdo explicou que o Y20 é o principal canal de participação da juventude no G20 e pediu o maior número possível de participantes para que as propostas tenham representatividade. O ministro cobrou empenho dos demais países no sentido de ampliar o debate com a juventude e levar propostas para os líderes.

A deputada federal brasileira Camila Jara cobrou dos líderes propostas e metas objetivas. Para ela, “é preciso lidar com os problemas que as gerações anteriores não conseguiram lidar e propor soluções para o futuro”. A presidenta da União Nacional dos Estudantes, Manuella Mirella, declarou que “precisamos dar resposta para a juventude, em um mundo que continua enriquecendo, mas está cada vez mais desigual”.  A ministra Claudia Barbosa confirmou que a ênfase na juventude é fundamental para o G20 e para o Brasil.

No encerramento da programação aconteceu o painel "Juventudes e os Grandes Temas Globais: Y20 Tracks", mediado por Rayssa Lemes, integrante da equipe do Y20, que trouxe especialistas para discutir temas como combate à fome e desigualdade, mudanças climáticas, inclusão e diversidade. A variedade de vozes e perspectivas refletiu o compromisso do Y20 em representar e abordar as preocupações e aspirações das juventudes em nível global.

Ao final do evento, ocorreu o ato de posse do Conselho Participativo e do Conselho Federativo do Y20, marcando o início da presidência brasileira no grupo. Com uma agenda focada em desafios urgentes e novas soluções, o Y20 se posiciona como um catalisador de mudanças em um contexto internacional cada vez mais complexo e interconectado.

Veja também

Carregando