G20 BRASIL

Comissão Nacional do G20 é instalada pelo presidente Lula

Durante a instalação da Comissão Nacional do G20, no dia 23 de novembro de 2023, o presidente Lula destacou como prioridades a inclusão social e o combate à fome e à pobreza; a transição energética e o desenvolvimento sustentável; e a reforma da governança global. Ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e da Secretaria-Geral da Presidência, Márcio Macêdo também falaram durante a solenidade

01/12/2023 19:09 - Modificado há 3 meses

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, instalou no dia 23/1, no Palácio do Planalto, a Comissão Nacional do G20. Na solenidade, Lula adiantou que este é o momento para que a pauta do combate às desigualdades, à fome e à pobreza seja levada para a discussão com os principais líderes do planeta. "Não é mais humanamente explicável o mundo tão rico, com tanto dinheiro atravessando o Atlântico, e a gente ter tanta gente ainda passando fome", pontuou.

A mudança climática também foi abordada pelo presidente como mais uma das prioridades do país na liderança do G20. “A transição energética se apresenta para o Brasil como a oportunidade que não tivemos no Século 20: de termos a possibilidade de mostrar ao mundo que quem quiser utilizar energia verde para produzir aquilo que é necessário para a humanidade encontrará no Brasil”, disse. “O Brasil é o porto seguro para que as pessoas possam vir, fazer investimentos e fazer com que esse país se transforme em um país definitivamente desenvolvido”, completou.

REFERÊNCIA - O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, destacou que a Presidência do G20 é uma oportunidade para o Brasil se projetar como referência mundial no desenvolvimento econômico sustentável e com compromisso social.

“Será uma ocasião ímpar para projetar uma imagem renovada do Brasil e apresentar uma visão de liderança em termos de cooperação internacional e no debate das grandes questões econômicas e sociais", declarou.

NOVO MULTILATERALISMO - Para o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, é preciso recuperar o multilateralismo e a perspectiva de uma integração entre as nações, e a Presidência do G20 permite ao Brasil pautar esses temas.

"Nós estamos propondo que o Brasil lidere uma espécie de reglobalização sustentável, do ponto de vista social e do ponto de vista ambiental. Não acontece todo dia de termos a chance de pautar os trabalhos do G20. Temos que usar essa oportunidade para avançar a nossa visão para um mundo mais integrado, próspero e generoso, que nos permita realizar as nossas aspirações como sociedade", completou Haddad.

G20 SOCIAL – "O governo brasileiro, através da Secretaria-Geral e em coordenação do Ministério das Relações Exteriores e Ministério da Fazenda, desenvolveu e aprofundou um novo conceito, chamado G20 Social. E incorporou esse caráter inédito à história do agrupamento", explicou o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Márcio Macêdo.

A intenção é que o G20 Social garanta espaço para diferentes vozes, lutas e reivindicações das populações das vinte maiores economias do mundo. Também vai coordenar as atividades de doze grupos de engajamento e diversas outras iniciativas não governamentais que envolvam as sociedades de todos os países do G20.