PARTICIPAÇÃO SOCIAL

Civil Society (C20)

O C20 visa assegurar que os líderes mundiais estejam atentos às recomendações e demandas da sociedade civil organizada. O propósito é promover a proteção do meio ambiente, impulsionar o desenvolvimento social e econômico e atuar pela garantia dos direitos humanos.

Logos_trilhas_OP07_Civil.png

Sobre o C20

O C20 busca resultados positivos para a sociedade como um todo, sob o princípio da justiça econômica, e incide por meios financeiros eficazes e alocação de recursos de forma eficiente para alcançar esses resultados. O princípio é “não deixar ninguém para trás”. Desta forma, o grupo busca garantir maior equilíbrio no diálogo com o G20, sendo um espaço que trabalha para que a sociedade civil tenha o mesmo nível de acesso aos governos que os representantes dos setores econômicos.

Assim, além de atuar na busca por maior accountability do G20 — conjunto de práticas utilizadas pelos gestores para prestar contas e fazer o controle social, o C20 abriga organizações dedicadas ao desenvolvimento de soluções inovadoras, sendo um importante contribuinte, de longo prazo, tanto na Trilha de Sherpas quanto na Trilha de Finanças.

O C20 no Brasil será estruturado em dez grupos de trabalho, que representam suas pautas estratégicas e prioridades, sendo eles:

Economias justas, inclusivas e antirracistas;
Sistemas Alimentares, Fome e Pobreza;
Meio Ambiente, Justiça Climática e Transição Energética Justa;
Comunidades Sustentáveis e Resilientes e Redução do Risco de Desastres;
Saúde Integrada para Todas as Pessoas;
Educação e Cultura;
Digitalização e Tecnologia;
Direitos das Mulheres e Igualdade de Gênero;
Filantropia e Desenvolvimento Sustentável;
Governança Democrática, Espaço Cívico, Anticorrupção e Acesso à Justiça.

A igualdade de gênero, o antirracismo, os direitos humanos e as deficiências, como temas transversais, serão considerados em todas as ações do grupos, desde sua governança às suas recomendações.

Histórico

O C20 foi formalizado como um grupo de engajamento oficial do G20 em 2013, durante a presidência russa do Grupo, e tem se fortalecido a cada ano. Na presidência brasileira, a Sherpa do C20 é a Organização Não Governamental (ONG) Gestos, que trabalha na defesa dos direitos das pessoas soropositivas para o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e das populações vulneráveis às infecções sexualmente transmissíveis (ISTs). A ONG acompanha as atividades do G20 desde 2011.

Em 2018, por exemplo, no C20 da Argentina, a Gestos contribuiu para o texto final da sociedade civil e, na Índia, em 2023, passou a integrar também a troika — um trio de membros formado por ocupantes da presidência do grupo (anterior, atual e posterior).

A Associação Brasileira de ONGs (ABONG) também tem acompanhado o Grupo dos 20 com maior proximidade nos últimos anos, tendo integrado o IAC do C20 Índia. No C20 Brasil, a Gestos desempenha as funções de Sherpa e de vice-presidência, enquanto a ABONG atua como presidente e ocupa outra vice-presidência.

SITE: https://c20brasil.org/
Instagram: @C20.Brasil
Twitter: @C20Brasil